O Bairro do Amor

Uma varanda debruçada para a vida

quinta-feira, julho 28, 2005

Rapaz do bengaleiro do Frágil (4)

.
Afinal não és completamente meu, nem um pouco, nem sequer na fantasía; todos os poetas te cantaram, já, antes de mim.
Agora sei que nasceste da poesia.

Se fosses luz serias a mais bela
De quantas há no mundo: - a luz do dia!
- Bendito seja o teu sorriso
Que desata a inspiração
da minha fantasia!
Se fosses flor serias o perfume
Concentrado e divino que perturba
O sentir de quem nasce para amar!
- Se desejo o teu corpo é porque tenho
Dentro de mim
A sede e a vibração de te beijar!
Se fosses água, música da terra,
Serias água pura e sempre calma!
- Mas de tudo que possas ser na vida,
Só quero amor que sejas alma!
António Botto, in "Toda a Vida"

4 Comments:

Enviar um comentário

<< Home